Menu

Conceitos Aplicados em Eletrônica

R$51,50

O técnico em eletrônica é um profissional habilitado para desenvolver e realizar manutenção de circuitos eletrônicos, integrar sistemas e circuitos, realizar medições e …

288 páginasAutor(es): Washington Luis Lanfredi Dias dos SantosISBN: 978-85-371-0463-7
Sumário

Sumário

Lista de Siglas e Abreviaturas
1. Introdução
1.1. O Que é Eletrônica?
1.1.1. Para que Serve o Técnico Eletrônico?
1.1.2. Como Aprender Eletrônica?
1.2. Instrumentação Eletrônica
1.2.1. Multímetro
1.2.2. Osciloscópio
1.2.3. Ferro de Solda
1.2.4. Estação de Solda
2. Técnicas de Soldagem
2.1. Utilizando o Ferro de Solda
2.1.1. Utilizando a Estação de Solda
2.1.2. Sugador de Solda
2.2. Retirada de Componentes
2.2.1. Retirada dos Componentes com Sugador de Solda
2.2.2. Retirada dos Componentes sem Sugador de Solda
2.2.3. Colocação de Componentes
2.2.4. Símbolos dos Componentes
3. Unidades de Medidas
3.1. Unidade de Massa
3.1.1. Unidade de Volume
3.1.2. Unidade de Densidade
3.1.3. Unidade de Temperatura
3.1.4. Unidade de Pressão
3.1.5. Unidade de Comprimento
3.1.6. Unidade de Área
3.1.7. Unidade de Capacidade
3.1.8. Unidade de Tempo
3.2. Unidades Usadas na Eletrônica
3.2.1. Ampere
3.2.2. Watt
3.2.3. Volt
3.2.4. Ohm
3.2.5. Prefixos
4. Eletricidade
4.1. Corrente Elétrica
4.1.1. Exemplos de Corrente Elétrica
4.1.2. Eletricidade e Magnetismo
4.2. Eletricidade Estática
4.2.1. Lei de Ohm
4.3. Corrente Contínua e Corrente Alternada
4.3.1. Corrente Contínua
4.3.2. Corrente Alternada
4.4. Circuitos Elétricos
4.4.1. Lei de Kirchhoff
5. Resistores
5.1. Resistores Fixos e Variáveis
5.2. Código de Cores Para Resistores
5.2.1. Associações de Resistores
5.2.1.1. Associação em Série
5.2.1.2. Associação em Paralelo
5.2.1.3. Associação Mista
5.2.2. Tipos de Resistores
5.2.2.1. Resistores Fixos
5.2.2.2. Resistores Variáveis
5.2.2.3. Resistores SMD
5.3. Medindo os Resistores com o Multímetro
5.4. Análise de Defeitos
5.4.1. Com o Multímetro
5.4.2. Comparação
6. Capacitores
6.1. Aplicações
6.2. Capacitância
6.2.1. Leitura dos Capacitores
6.3. Associação de Capacitores
6.3.1. Associação em Série
6.3.2 Associação em Paralelo
6.3.3. Associação Mista
6.4 Tipos de Capacitores
6.4.1. Capacitores Eletrolíticos (Capacitores Eletroquímicos)
6.4.2. Capacitores de Tântalo
6.4.3. Capacitores Cerâmicos
6.4.4. Capacitores de Filme de Poliestireno
6.4.5. Capacitores de Filme de Poliéster
6.4.6. Capacitores de Polipropileno
6.4.7. Capacitores de Mica
6.4.8. Capacitores Tubulares de Papel e Óleo
6.4.9. Capacitores Planos
6.4.10. Capacitor de Vidro
6.4.11. Capacitores Variáveis
6.5. Capacitores SMD
6.5.1. Noções de Capacitores SMD
6.5.2. Tipos de Capacitores SMD
6.5.2.1. Capacitor SMD Eletrolíticos
6.5.2.2. Capacitores SMD Cerâmicos
6.5.2.3. Capacitores SMD de Tântalo
6.5.2.4. Outros Códigos de Capacitores SMD
6.6. Como Verificar Capacitores SMD com Defeito
6.7. Outros Tipos
6.8. Teste de Capacitores
6.8.1. Utilizando o Multímetro Analógico
6.8.1.1. Prova de Fuga e Curto
6.8.2. Provador de Continuidade
6.8.3. Provador de Capacitores
6.8.4. Capacímetro
6.9. Osciloscópio e Traçador de Curvas
6.10. Osciloscópio e Gerador de Sinais
7. Díodo
7.1. Ânodo e Cátodo
7.1.1. Ânodo
7.1.2. Cátodo
7.2. Estrutura Interna do Díodo
7.2.1. Tipos de Díodos
7.2.1.1. Retificadores
7.2.1.2. Zener
7.2.1.3. Varicap
7.2.1.4. Túnel
7.2.1.5. Led
7.3. Díodos no Circuito
7.3.1. Retificação de Onda Completa
7.3.2. Circuito Detector de Pico de Filtragem
7.3.3. Teste de Díodos
7.3.3.1. Multímetro Digital
7.3.3.2. Multímetro Analógico
7.4. Código de Díodos
7.5. Díodos SMD
8. Transistores
8.1. Funcionamento
8.1.1. Zonas de Funcionamento dos Transistores
8.2. Aplicação
8.3. Transistor como Amplificador
8.3.1. Estrutura Interna dos Transistores
8.4. Polarização Direta Emissor-Base
8.4.1. Polarização Simultânea
8.5. Potência dos Transistores
8.5.1. Transistor de Baixa Potência
8.5.2. Transistor de Média Potência
8.5.3. Transistor de Alta Potência
8.6. Códigos dos Transistores
8.7. Tipo de Transistores
8.7.1. Mosfet
8.7.1.1. Transistor Darlington
8.7.1.2. Tiristor
8.7.1.3. Fototransistor
8.7.1.4. Transistores SMD
8.8. Como Testar um Transistor em um Circuito
8.8.1. Multímetro Digital
9. Circuitos Integrados C.I.
9.1. Vantagens dos C.I.
9.2. Classificação dos C.I.
9.2.1. Tipos de C.I.
9.2.2. C.I. de Potência
9.2.3. C.I. Regulador de Tensão
9.2.4. Circuito Integrado SMD
9.3. Manutenção de C.I. SMD
9.4. Circuito Integrado BGA
9.4.1. Vantagens do C.I. BGA
9.4.2. Desvantagens do C.I. BGA
10. Transformadores e Bobinas
10.1. Tipos de Transformadores
10.1.1. Transformador de Potencial
10.1.2. Transformador de Corrente (TC)
10.1.3. Autotransformador
10.1.4. Transformador Ideal e Real
10.1.4.1. Transformador Ideal
10.1.4.2. Transformador Real
10.2. Bobina
11. Eletrônica Digital
11.1. Circuitos Combinacionais
11.1.1. Análise de um Circuito Combinacional
11.1.1.1. Expressões Booleanas
11.1.2. Circuitos Sequenciais
11.1.2.1. Latchs SR (Set e Reset) NAND e NOR
11.1.2.2. Flip-flop
11.1.2.2.1. Flip-Flop Tipo JK
11.1.2.2.2. Flip-Flop D
11.1.2.2.3. Flip-Flop T
11.1.2.2.4. Flip-Flop S-R
11.2. Interface com o Mundo Analógico
11.2.1. Transdutor
11.2.1.1. Conversor Analógico-Digital (ADC)
11.2.1.2. Sistema Digital
11.2.1.3. Conversor Digital-Analógico (DAC)
11.2.1.4. Atuador
12. Sistemas Digitais
12.1. Vantagens dos Sistemas e Circuitos Digitais
12.2. Sistemas de Numeração
12.3. Conversão Entre Bases Numéricas
12.3.1. Conversão de Decimal para Binário
12.3.2. Conversão de Binário para Decimal
12.3.3. Conversão de Decimal para Hexadecimal
12.3.4. Conversão de Hexadecimal em Decimal
12.3.5. Conversão de Decimal em Octal
12.3.6. Conversão de Octal em Decimal
12.3.7. Conversão de Binário em Hexadecimal
12.3.8. Conversão de Binário em Octal
12.3.9. Conversão de Hexadecimal em Binário
12.3.10. Conversão de Octal em Binário
12.3.11. Conversão de Octal em Hexadecimal
12.3.12. Conversão de Hexadecimal em Octal
12.4. Aritmética Binária
12.4.1. Subtração nos Computadores
12.4.2. Subtração em Complemento de Dois
12.5. Multiplicação e Divisão Binária
12.6. Memórias Semicondutoras
13. Fundamentos da Automação
13.1. História da Automação
13.1.1. Benefícios da Automação
13.1.1.1. Atuação
13.1.1.2. A Automação nas Atividades Humanas
13.2. Componentes Básicos da Automação
13.2.1. Atuadores
13.2.1.1. Tipos de Atuadores
13.2.1.1.1. Atuadores Pneumáticos
13.2.1.1.2. Atuador Linear Elétrico
13.2.1.1.3. Atuadores Lineares de Cilindro
13.2.2. Conclusão
13.3. Sensores
13.4. Tipos de Sensores
13.4.1. Sensores de Temperatura
13.4.2. Sensores Integrados
13.4.3. Sensores de Luz
13.4.3.1. LDR
13.4.3.2. Fotodíodo
13.4.3.3. Fototransistor
13.4.3.4. Células Fotovoltaicas
13.4.3.5. Fotocélula de Selênio
13.4.3.6. Tacogerador
13.4.3.7. Interruptor de Lâminas
13.4.4. Sensores Ópticos
13.4.5. Sensores de Vazão
13.4.6. Sensor de Turbina
13.4.7. Sensor Térmico
13.4.8. Sensores de Posição
13.4.8.1. Chaves Fim de Curso
13.4.8.2. Sensores Fim de Curso Magnéticos
13.4.8.3. Sensor Magnético Hall
13.4.9. Sensores de Posição Específica
13.4.10. Potenciômetro
13.4.11. Sensores Capacitivos
13.4.12. Sensores Indutivos
13.5. Controladores Lógicos Programáveis
13.5.1. Funcionamento do CLP
13.5.2. Estrutura Básica de Funcionamento de um CLP
13.6. Instruções para a Linguagem Ladder
13.6.1. Lógica Matemática e Binária
13.7. Micro – CLP
13.7.1. Considerações de Projeto
13.7.1.1. Uso do CLP nas Indústrias
13.8. Softwares Supervisórios
13.8.1. Elipse SCADA
13.8.1.1. Comunicação
13.8.1.2. Interface Gráfica
13.8.1.3. Lógicas (Scripts)
13.8.1.4. Registro de Dados ou Histórico
13.8.1.5 Conexão em Rede (Cliente-Servidor)
13.8.1.6. Banco de Dados
13.8.2. Ferramentas do Elipse
13.8.2.1. Elipse Watcher
13.8.2.2. Elipse Web
13.9. Tipos de Sistemas de Processos Industriais
13.10. Tipos de Controle na Automação
13.10.1. Controle Dinâmico
13.10.2. Controle Lógico ou Controle de Eventos
13.11. A Aplicação da Automação em Residências e Comércios
13.12. A Aplicação da Automação em Indústrias
13.13. Automações Especializadas de Menor Complexidade
13.14. Automações Industriais de Âmbito Local de Média Complexidade
13.15. Grandes Sistemas de Automação de Maior Complexidade
14. Qualidade
14.1. Definição
14.1.1. ISO 9000
14.1.2. Conceitos
14.1.2.1. Enfoque Transcendental
14.1.2.2. Enfoque no Produto
14.1.2.3. Enfoque no Usuário
14.1.2.4. Enfoque na Fabricação
14.1.2.5. Enfoque no Valor
14.1.3. Princípios
14.1.4. Implementação da Gestão da Qualidade
14.1.5. Definição da Unidade de Negócio
14.1.6. Gerenciamento e Mapeamento de Processos
14.2. Ciclo PDCA
14.2.1. Padronização dos Processos
14.2.1.1. Padrões de Sistemas
14.2.1.2. Padrões Técnicos
14.3. Sistema de Gestão da Qualidade
14.3.1. Documentação
14.3.1.1. Controle de Documentos
14.3.1.2. Controle de Registros
14.4. Comprometimento da Direção
14.5. Foco no Cliente
14.6. Política da Qualidade
14.6.1. Objetivos da Qualidade
14.6.2. Planejamento da Qualidade
14.6.3. Responsabilidades
14.6.4. Análise Crítica pela Direção
14.7. Provisão de Recursos
14.7.1. Infraestruturas
14.7.2. Ambiente de Trabalho
14.8. 5S
14.8.1. Primeira Fase
14.8.2. Segunda fase
14.9. Planejamento da Realização do Produto
14.10. Processos Relacionados aos Clientes
14.11. Projeto e Desenvolvimento
14.12. Medição, Análise e Melhoria
14.12.1. Generalidades
14.12.2. Custos da Qualidade
14.12.3. Satisfação de Clientes
14.12.4. Auditoria
14.13. Medição e Monitoramento de Processos
14.14. Medição e Monitoramento de Produto
14.15. Controle de Produto Não Conforme
14.16. Análise de Dados
14.17. Folha de Verificação/Lista de Verificação
14.18. Diagrama de Pareto
14.19. Histograma
14.19.1. Cartas de Controle
14.19.2. Diagrama de Causa e Efeito
14.19.3. Diagrama de Dispersão
14.19.4. Fluxograma
14.19.5. Melhorias Contínuas
14.19.6. Kaizen
14.19.7. Poka-Yoke
14.19.8. Ação Corretiva
14.19.9. Ação Preventiva
14.19.10. Não Conformidades
Referência
Glossário
Amostra

Clique nos cantos para folhear

Exercícios

Download do arquivo de exercícios

Clique aqui para fazer o download.
REF: 978-85-371-0463-7 Categoria

O técnico em eletrônica é um profissional habilitado para desenvolver e realizar manutenção de circuitos eletrônicos, integrar sistemas e circuitos, realizar medições e testes em equipamentos eletrônicos, seguindo normas técnicas, ambientais, de qualidade e de segurança no trabalho.

O livro Conceitos Aplicados em Eletrônica – Técnicas em Eletrônica está dividido em quatorze capítulos que permitem ao leitor conhecer gradativamente os conceitos e a aplicação de vários itens relacionados à profissão.

Entre os tópicos abordados estão: o que é eletrônica, a instrumentação eletrônica, a utilização do ferro de solda, a estação de solda, as unidades de medidas, corrente elétrica, eletricidade estática, corrente contínua e corrente alternada, circuitos elétricos, resistores fixos e variáveis,

os capacitores, o díodo, o ânodo e o cátodo, os transistores, os circuitos integrados C.I., os transformadores e bobinas, a eletrônica digital, os sistemas digitais, a aritmética binária, os fundamentos da automação, os sensores, os controles lógicos programáveis, os softwares supervisórios, os tipos de controle na automação, a automação nas indústrias, os sistemas de qualidade e gestão de processos, entre outros. Cada capítulo possui atividades sobre o conteúdo que visam a fixação do mesmo.

Peso 0,38 kg
Dimensões 210 x 148 x 2 mm
Autor

Washington Luis Lanfredi Dias dos Santos

Sumario

Lista de Siglas e Abreviaturas

1. Introdução

1.1. O Que é Eletrônica?

1.1.1. Para que Serve o Técnico Eletrônico?

1.1.2. Como Aprender Eletrônica?

1.2. Instrumentação Eletrônica

1.2.1. Multímetro

1.2.2. Osciloscópio

1.2.3. Ferro de Solda

1.2.4. Estação de Solda

2. Técnicas de Soldagem

2.1. Utilizando o Ferro de Solda

2.1.1. Utilizando a Estação de Solda

2.1.2. Sugador de Solda

2.2. Retirada de Componentes

2.2.1. Retirada dos Componentes com Sugador de Solda

2.2.2. Retirada dos Componentes sem Sugador de Solda

2.2.3. Colocação de Componentes

2.2.4. Símbolos dos Componentes

3. Unidades de Medidas

3.1. Unidade de Massa

3.1.1. Unidade de Volume

3.1.2. Unidade de Densidade

3.1.3. Unidade de Temperatura

3.1.4. Unidade de Pressão

3.1.5. Unidade de Comprimento

3.1.6. Unidade de Área

3.1.7. Unidade de Capacidade

3.1.8. Unidade de Tempo

3.2. Unidades Usadas na Eletrônica

3.2.1. Ampere

3.2.2. Watt

3.2.3. Volt

3.2.4. Ohm

3.2.5. Prefixos

4. Eletricidade

4.1. Corrente Elétrica

4.1.1. Exemplos de Corrente Elétrica

4.1.2. Eletricidade e Magnetismo

4.2. Eletricidade Estática

4.2.1. Lei de Ohm

4.3. Corrente Contínua e Corrente Alternada

4.3.1. Corrente Contínua

4.3.2. Corrente Alternada

4.4. Circuitos Elétricos

4.4.1. Lei de Kirchhoff

5. Resistores

5.1. Resistores Fixos e Variáveis

5.2. Código de Cores Para Resistores

5.2.1. Associações de Resistores

5.2.1.1. Associação em Série

5.2.1.2. Associação em Paralelo

5.2.1.3. Associação Mista

5.2.2. Tipos de Resistores

5.2.2.1. Resistores Fixos

5.2.2.2. Resistores Variáveis

5.2.2.3. Resistores SMD

5.3. Medindo os Resistores com o Multímetro

5.4. Análise de Defeitos

5.4.1. Com o Multímetro

5.4.2. Comparação

6. Capacitores

6.1. Aplicações

6.2. Capacitância

6.2.1. Leitura dos Capacitores

6.3. Associação de Capacitores

6.3.1. Associação em Série

6.3.2 Associação em Paralelo

6.3.3. Associação Mista

6.4 Tipos de Capacitores

6.4.1. Capacitores Eletrolíticos (Capacitores Eletroquímicos)

6.4.2. Capacitores de Tântalo

6.4.3. Capacitores Cerâmicos

6.4.4. Capacitores de Filme de Poliestireno

6.4.5. Capacitores de Filme de Poliéster

6.4.6. Capacitores de Polipropileno

6.4.7. Capacitores de Mica

6.4.8. Capacitores Tubulares de Papel e Óleo

6.4.9. Capacitores Planos

6.4.10. Capacitor de Vidro

6.4.11. Capacitores Variáveis

6.5. Capacitores SMD

6.5.1. Noções de Capacitores SMD

6.5.2. Tipos de Capacitores SMD

6.5.2.1. Capacitor SMD Eletrolíticos

6.5.2.2. Capacitores SMD Cerâmicos

6.5.2.3. Capacitores SMD de Tântalo

6.5.2.4. Outros Códigos de Capacitores SMD

6.6. Como Verificar Capacitores SMD com Defeito

6.7. Outros Tipos

6.8. Teste de Capacitores

6.8.1. Utilizando o Multímetro Analógico

6.8.1.1. Prova de Fuga e Curto

6.8.2. Provador de Continuidade

6.8.3. Provador de Capacitores

6.8.4. Capacímetro

6.9. Osciloscópio e Traçador de Curvas

6.10. Osciloscópio e Gerador de Sinais

7. Díodo

7.1. Ânodo e Cátodo

7.1.1. Ânodo

7.1.2. Cátodo

7.2. Estrutura Interna do Díodo

7.2.1. Tipos de Díodos

7.2.1.1. Retificadores

7.2.1.2. Zener

7.2.1.3. Varicap

7.2.1.4. Túnel

7.2.1.5. Led

7.3. Díodos no Circuito

7.3.1. Retificação de Onda Completa

7.3.2. Circuito Detector de Pico de Filtragem

7.3.3. Teste de Díodos

7.3.3.1. Multímetro Digital

7.3.3.2. Multímetro Analógico

7.4. Código de Díodos

7.5. Díodos SMD

8. Transistores

8.1. Funcionamento

8.1.1. Zonas de Funcionamento dos Transistores

8.2. Aplicação

8.3. Transistor como Amplificador

8.3.1. Estrutura Interna dos Transistores

8.4. Polarização Direta Emissor-Base

8.4.1. Polarização Simultânea

8.5. Potência dos Transistores

8.5.1. Transistor de Baixa Potência

8.5.2. Transistor de Média Potência

8.5.3. Transistor de Alta Potência

8.6. Códigos dos Transistores

8.7. Tipo de Transistores

8.7.1. Mosfet

8.7.1.1. Transistor Darlington

8.7.1.2. Tiristor

8.7.1.3. Fototransistor

8.7.1.4. Transistores SMD

8.8. Como Testar um Transistor em um Circuito

8.8.1. Multímetro Digital

9. Circuitos Integrados C.I.

9.1. Vantagens dos C.I.

9.2. Classificação dos C.I.

9.2.1. Tipos de C.I.

9.2.2. C.I. de Potência

9.2.3. C.I. Regulador de Tensão

9.2.4. Circuito Integrado SMD

9.3. Manutenção de C.I. SMD

9.4. Circuito Integrado BGA

9.4.1. Vantagens do C.I. BGA

9.4.2. Desvantagens do C.I. BGA

10. Transformadores e Bobinas

10.1. Tipos de Transformadores

10.1.1. Transformador de Potencial

10.1.2. Transformador de Corrente (TC)

10.1.3. Autotransformador

10.1.4. Transformador Ideal e Real

10.1.4.1. Transformador Ideal

10.1.4.2. Transformador Real

10.2. Bobina

11. Eletrônica Digital

11.1. Circuitos Combinacionais

11.1.1. Análise de um Circuito Combinacional

11.1.1.1. Expressões Booleanas

11.1.2. Circuitos Sequenciais

11.1.2.1. Latchs SR (Set e Reset) NAND e NOR

11.1.2.2. Flip-flop

11.1.2.2.1. Flip-Flop Tipo JK

11.1.2.2.2. Flip-Flop D

11.1.2.2.3. Flip-Flop T

11.1.2.2.4. Flip-Flop S-R

11.2. Interface com o Mundo Analógico

11.2.1. Transdutor

11.2.1.1. Conversor Analógico-Digital (ADC)

11.2.1.2. Sistema Digital

11.2.1.3. Conversor Digital-Analógico (DAC)

11.2.1.4. Atuador

12. Sistemas Digitais

12.1. Vantagens dos Sistemas e Circuitos Digitais

12.2. Sistemas de Numeração

12.3. Conversão Entre Bases Numéricas

12.3.1. Conversão de Decimal para Binário

12.3.2. Conversão de Binário para Decimal

12.3.3. Conversão de Decimal para Hexadecimal

12.3.4. Conversão de Hexadecimal em Decimal

12.3.5. Conversão de Decimal em Octal

12.3.6. Conversão de Octal em Decimal

12.3.7. Conversão de Binário em Hexadecimal

12.3.8. Conversão de Binário em Octal

12.3.9. Conversão de Hexadecimal em Binário

12.3.10. Conversão de Octal em Binário

12.3.11. Conversão de Octal em Hexadecimal

12.3.12. Conversão de Hexadecimal em Octal

12.4. Aritmética Binária

12.4.1. Subtração nos Computadores

12.4.2. Subtração em Complemento de Dois

12.5. Multiplicação e Divisão Binária

12.6. Memórias Semicondutoras

13. Fundamentos da Automação

13.1. História da Automação

13.1.1. Benefícios da Automação

13.1.1.1. Atuação

13.1.1.2. A Automação nas Atividades Humanas

13.2. Componentes Básicos da Automação

13.2.1. Atuadores

13.2.1.1. Tipos de Atuadores

13.2.1.1.1. Atuadores Pneumáticos

13.2.1.1.2. Atuador Linear Elétrico

13.2.1.1.3. Atuadores Lineares de Cilindro

13.2.2. Conclusão

13.3. Sensores

13.4. Tipos de Sensores

13.4.1. Sensores de Temperatura

13.4.2. Sensores Integrados

13.4.3. Sensores de Luz

13.4.3.1. LDR

13.4.3.2. Fotodíodo

13.4.3.3. Fototransistor

13.4.3.4. Células Fotovoltaicas

13.4.3.5. Fotocélula de Selênio

13.4.3.6. Tacogerador

13.4.3.7. Interruptor de Lâminas

13.4.4. Sensores Ópticos

13.4.5. Sensores de Vazão

13.4.6. Sensor de Turbina

13.4.7. Sensor Térmico

13.4.8. Sensores de Posição

13.4.8.1. Chaves Fim de Curso

13.4.8.2. Sensores Fim de Curso Magnéticos

13.4.8.3. Sensor Magnético Hall

13.4.9. Sensores de Posição Específica

13.4.10. Potenciômetro

13.4.11. Sensores Capacitivos

13.4.12. Sensores Indutivos

13.5. Controladores Lógicos Programáveis

13.5.1. Funcionamento do CLP

13.5.2. Estrutura Básica de Funcionamento de um CLP

13.6. Instruções para a Linguagem Ladder

13.6.1. Lógica Matemática e Binária

13.7. Micro – CLP

13.7.1. Considerações de Projeto

13.7.1.1. Uso do CLP nas Indústrias

13.8. Softwares Supervisórios

13.8.1. Elipse SCADA

13.8.1.1. Comunicação

13.8.1.2. Interface Gráfica

13.8.1.3. Lógicas (Scripts)

13.8.1.4. Registro de Dados ou Histórico

13.8.1.5 Conexão em Rede (Cliente-Servidor)

13.8.1.6. Banco de Dados

13.8.2. Ferramentas do Elipse

13.8.2.1. Elipse Watcher

13.8.2.2. Elipse Web

13.9. Tipos de Sistemas de Processos Industriais

13.10. Tipos de Controle na Automação

13.10.1. Controle Dinâmico

13.10.2. Controle Lógico ou Controle de Eventos

13.11. A Aplicação da Automação em Residências e Comércios

13.12. A Aplicação da Automação em Indústrias

13.13. Automações Especializadas de Menor Complexidade

13.14. Automações Industriais de Âmbito Local de Média Complexidade

13.15. Grandes Sistemas de Automação de Maior Complexidade

14. Qualidade

14.1. Definição

14.1.1. ISO 9000

14.1.2. Conceitos

14.1.2.1. Enfoque Transcendental

14.1.2.2. Enfoque no Produto

14.1.2.3. Enfoque no Usuário

14.1.2.4. Enfoque na Fabricação

14.1.2.5. Enfoque no Valor

14.1.3. Princípios

14.1.4. Implementação da Gestão da Qualidade

14.1.5. Definição da Unidade de Negócio

14.1.6. Gerenciamento e Mapeamento de Processos

14.2. Ciclo PDCA

14.2.1. Padronização dos Processos

14.2.1.1. Padrões de Sistemas

14.2.1.2. Padrões Técnicos

14.3. Sistema de Gestão da Qualidade

14.3.1. Documentação

14.3.1.1. Controle de Documentos

14.3.1.2. Controle de Registros

14.4. Comprometimento da Direção

14.5. Foco no Cliente

14.6. Política da Qualidade

14.6.1. Objetivos da Qualidade

14.6.2. Planejamento da Qualidade

14.6.3. Responsabilidades

14.6.4. Análise Crítica pela Direção

14.7. Provisão de Recursos

14.7.1. Infraestruturas

14.7.2. Ambiente de Trabalho

14.8. 5S

14.8.1. Primeira Fase

14.8.2. Segunda fase

14.9. Planejamento da Realização do Produto

14.10. Processos Relacionados aos Clientes

14.11. Projeto e Desenvolvimento

14.12. Medição, Análise e Melhoria

14.12.1. Generalidades

14.12.2. Custos da Qualidade

14.12.3. Satisfação de Clientes

14.12.4. Auditoria

14.13. Medição e Monitoramento de Processos

14.14. Medição e Monitoramento de Produto

14.15. Controle de Produto Não Conforme

14.16. Análise de Dados

14.17. Folha de Verificação/Lista de Verificação

14.18. Diagrama de Pareto

14.19. Histograma

14.19.1. Cartas de Controle

14.19.2. Diagrama de Causa e Efeito

14.19.3. Diagrama de Dispersão

14.19.4. Fluxograma

14.19.5. Melhorias Contínuas

14.19.6. Kaizen

14.19.7. Poka-Yoke

14.19.8. Ação Corretiva

14.19.9. Ação Preventiva

14.19.10. Não Conformidades

Referência

Glossário

Demonstracao

2017-01-18_02-25-05-ConceitosAplicadosemEletrnica.pgnas.swf

Exercicios

2017-01-19_01-21-46-Respostadosexerccios-Eletrnica.zip

Paginas

288

ISBN

978-85-371-0463-7