Menu

Metrologia – Fundamentos, Instrumentos e Aplicações na Indústria

R$51,50

A metrologia engloba todos os aspectos teóricos e práticos da medição,

qualquer que seja a incerteza de medição e o campo de aplicaç…

320 páginasAutor(es): Lidio TeixeiraISBN: 978-85-371-0475-0
Sumário

Sumário

Lista de Siglas e Abreviaturas
1. Introdução
1.1. O que é Metrologia
1.2. Por que Medir?
1.3. Metrologia e Controle Dimensional na Indústria
1.4. Tipos e Objetivos da Metrologia
1.5. Órgãos e Publicações Importantes
1.5.1. Publicações
1.5.2. Institutos de Normalização
2. Sistemas de Medidas
2.1. O que é Medir?
2.2. História das Unidades de Medida
2.3. Sistema Internacional de Unidades (SI)
2.3.1. Unidades de Base
2.3.2. Unidades Derivadas Expressas a Partir das Unidades Base
2.3.3. Unidades com Nomes e Símbolos Especiais
2.3.4. Múltiplos e Submúltiplos Decimais das Unidades do SI
2.4. Conversão Entre Múltiplos e Submúltiplos de uma Unidade
2.5. Conversão Entre Múltiplos e Submúltiplos de Unidades que
Acompanham um Expoente
2.6. Unidades Fora do SI
2.7. Sistema Imperial de Unidades e Sistema Usual de Unidades
dos EUA
2.8. A Polegada
2.8.1. Polegada Ordinária
2.8.2. Polegada Fracionária
2.8.3. Conversão
2.8.3.1. Conversão de Polegada Fracionária em Ordinária
2.8.3.2. Conversão de Polegada Ordinária em Fracionária
2.8.3.3. Conversão de Milímetros em Polegada Ordinária e de Polegada Ordinária em Milímetros
2.8.3.4. Conversão de Milímetros em Polegada Fracionária e de Polegada Fracionária em Milímetros
3. Técnicas e Fontes de Erro na Medição
3.1. Terminologia Básica
3.2. Recomendações para Seleção de Instrumentos
3.2.1. Campo de Tolerância
3.3. Fontes de Erro de Medição
3.3.1. Variação de Temperatura
3.3.2. Força de Medição
3.3.3. Erros de Forma da Peça
3.3.4. Forma de Contato
3.3.5. Erro de Paralaxe
3.3.6. Estado de Conservação do Instrumento
3.3.7. Habilidade do Operador
3.4. Cuidados para Minimizar os Erros
3.4.1. Limpeza Manutenção e Armazenagem
4. Instrumentos Para Medição Direta
4.1. Régua
4.1.1. Nomenclatura
4.1.2. Resolução/Valor de uma Divisão
4.1.3. Leitura
4.1.4. Recomendações e Cuidados
4.1.5. Calibração e Ajuste
4.1.6. Tipos
4.2.1. Nomenclatura
4.2.2. Leitura
4.2.3. Recomendações e Cuidados
4.2.4. Calibração e Ajuste
4.2.5. Tipos
4.3. Paquímetro
4.3.1. Nomenclatura
4.3.2. Resolução
4.3.3. Leitura
4.3.3.1. Leitura com Paquímetro com Relógio
4.3.4. Recomendações e Cuidados com o Paquímetro
4.3.5. Calibração e Ajuste
4.3.6. Tipos de Paquímetros
4.3.6.1. Paquímetro Universal
4.3.6.2. Paquímetro com Ajuste Fino
4.3.6.3. Paquímetro Prismático
4.3.6.4. Paquímetro com Relógio
4.3.6.5. Paquímetro para Serviços Pesados
4.3.6.6. Paquímetro para Medição de Profundidade
4.3.6.7. Paquímetros de Medição e Formas Especiais
4.3.6.8. Paquímetro com Escala Dupla
4.3.6.9. Paquímetros Digitais
4.4. Calibrador Traçador de Alturas
4.4.1. Nomenclatura
4.4.2. Resolução/Valor de uma Divisão
4.4.3. Leitura
4.4.4. Recomendações e Cuidados com o Traçador de Altura
4.4.5. Erro Máximo Admissível
4.4.6. Calibração e Ajuste
4.4.7. Tipos de Calibradores Traçadores de Altura
4.4.7.1. Calibradores de Altura de Alta Exatidão
4.5. Micrômetros
4.5.1. Nomenclatura e Princípio de Funcionamento
4.5.2. Resolução
4.5.3. Leitura com Micrômetro
4.5.3.1. Ajuste do Zero
4.5.3.2. Fazendo a Medição
4.5.4. Recomendações e Cuidados com o Micrômetro
4.5.5. Calibração
4.5.5.1. Planeza das Superfícies de Medição
4.5.5.2. Paralelismo das Superfícies de Medição
4.5.5.3. Erro Máximo Admissível
4.5.6. Tipos
4.5.6.1. Micrômetros Externos
4.5.6.2. Micrômetros Internos
4.5.6.3. Micrômetro de Profundidade
4.5.6.4. Micrômetros Especiais
4.5.6.5. Cabeçote Micrométrico
5. Medição por Comparação e de Ângulos
5.1. Relógio Comparador
5.1.1. Nomenclatura e Princípio de Funcionamento
5.1.2. Resolução e Exatidão
5.1.3. Leitura
5.1.4. Aplicações
5.1.5. Medição por Comparação
5.1.6. Acessórios
5.1.7. Recomendações e Cuidados com o Relógio Comparador
5.1.8. Calibração
5.1.9. Tipos de Relógios Comparadores
5.2. Relógio Apalpador
5.2.1. Nomenclatura e Princípio de Funcionamento
5.2.2. Resolução e Exatidão
5.2.3. Leitura
5.2.4. Medição com Relógio Apalpador
5.2.4.1. Medição por Comparação
5.2.4.2. Medição de Erros Geométricos
5.2.5. Recomendações e Cuidados com o Relógio Apalpador
5.2.6. Calibração
5.2.7. Tipos
5.3. Utilização do Relógio Apalpador em Conjunto com um
Traçador de Alturas
5.3.1. Medições Simples com o Traçador
5.3.2. Medição de Diâmetro e Coordenada Central de Furos
5.3.3. Medição de Erros Geométricos
5.4. Comparador de Diâmetro Interno
5.4.1. Nomenclatura e Funcionamento
5.4.2. Medição com o Comparador de Diâmetros Internos
5.4.3. Recomendações e Cuidados
5.4.4. Calibração
5.4.5. Tipos
5.5. Instrumentos para Medição de Ângulo
5.5.1. Transferidor Simples
5.5.2. Transferidor de Ângulos Universal ou Goniômetro
5.5.2.1. Resolução/Valor de uma Divisão
5.5.2.2. Medição com o Transferidor de Ângulos Universais
5.5.3. Recomendações e Cuidados com Transferidores
5.6. Outros Instrumentos
6. Padrões e Calibradores
6.1. Padrão de Medição
6.2. Pino Padrão
6.2.1. Utilização de Pino Padrão no Controle de Medidas
6.2.2. Calibração e Ajuste de Zero em Instrumentos
6.2.3. Medição Indireta
6.2.3.1. Distância Entre Centros de Furos
6.2.3.2. Medição de Profundidade de Superfícies em Ângulo
6.3. Anel Padrão
6.4. Bloco Padrão
6.4.1. Classificação dos Blocos Padrão
6.4.2. União por Mútua Adesão
6.4.3. Como Formar uma Pilha de Blocos Padrão
6.4.4. Aplicações
6.4.5. Calibração
6.4.6. Cuidados com os Blocos Padrão
6.5. Desempeno
7. Durômetro
7.1. O que é Dureza?
7.1.1. Conceitos Práticos
7.2. Dureza Mohs (1812)
7.3. Aplicações de Dureza
7.4. Métodos de Ensaio
7.5. Dureza Brinell
7.5.1. Vantagens e Desvantagens
7.6. Dureza Rockwell
7.6.1. Tipos de Durômetros Rockwell
7.7. Dureza Vickers
7.8. Dureza Knoop
7.9. Microdureza Vickers e Knoop
7.10. Indicações de Escalas
7.11. Conversão de Escalas
7.12. Calibração
8. Máquina de Medir por Coordenadas
8.1. Princípios de Funcionamento
8.1.1. Nomenclatura
8.1.2. Características Mecânicas
8.1.3. Sistema de Movimentação de Máquina
8.1.4. Sistema de Apalpamento
8.1.4.1. Cabeçote de Medição
8.1.4.2. Sensor
8.1.4.3. Pontas e Extensões
8.1.5. Movimento Manual X CNC
8.2. Aplicações
8.2.1. Dimensionamento Geométrico
8.2.2. Análise de Perfis
8.2.3. Digitalização
8.2.4. Comparação de Superfícies
8.3. Tipos
8.4. Exatidão
9. Equipamentos Óticos
9.1. Projetor de Perfil
9.1.1. Características de Funcionamento
9.1.2. Sistemas de Projeção
9.1.2.1. Projeção Diascópica (Contorno)
9.1.2.2. Projeção Episcópica (Superfície)
9.1.3. Medição de Roscas
9.1.4. Especificações de um Projetor
9.1.4.1. Tamanho da Tela e Ampliação das Lentes
9.1.4.2. Óptica
9.1.4.3. Projeção Vertical ou Horizontal
9.1.4.4. Mesa de Trabalho
9.1.4.5. Leitura Digital Eletrônica
9.1.4.6. Detecção Automática de Aresta
9.1.4.7. Software de Medição
9.1.4.8. Exatidão
9.1.5. Tipos
9.1.6. Conservação
9.2. Microscópio de Medição
9.2.1. Funcionamento
9.2.2. Lentes
9.2.3. Utilização
9.2.4. Características Técnicas
9.2.4.1. Ampliação Total
9.2.4.2. Distância Focal e Distância de Trabalho (WD)
9.2.4.3. Profundidade de Foco
9.2.5. Tipos
9.3. Máquina de Medir por Processamento de Imagem
9.4. Escolha de Equipamentos para Medição Ótica
9.5. Calibração de Equipamentos Óticos
10. Rugosímetro
10.1. Rugosidade
10.2. Influência da Rugosidade
10.3. Configuração do Rugosímetro para Medição
10.3.1. Perfil
10.3.2. Cutoff ou Comprimento de Amostragem
10.3.3. Comprimento para Avaliação
10.3.4. Parâmetros de Rugosidade
10.4. Normas e Simbologia
10.5. Equipamentos
10.5.1. Rugosímetros Portáteis
10.5.2. Rugosímetros de Bancada
11. Tolerância Dimensional e Geométrica
11.1. Tolerância Dimensional
11.1.1. Exemplo de Indicação de Tolerância
11.1.2. Indicações de Tolerância
11.1.3. Tolerância de Ajuste
11.1.4. Tolerância ISO (ABNT NBR 6158)
11.1.4.1. Campo de Tolerância
11.1.4.2. Qualidade de Trabalho
11.1.4.3. Grupos de Dimensões
11.1.4.4. Ajustes
11.2. Tolerância Geométrica de Forma e Posição
11.2.1. Cota Básica
11.2.2. Interpretação da Tolerância
Referências
Glossário
Amostra

Clique nos cantos para folhear

Exercícios

Download do arquivo de exercícios

Clique aqui para fazer o download.
REF: 978-85-371-0475-0 Categoria

A metrologia engloba todos os aspectos teóricos e práticos da medição,

qualquer que seja a incerteza de medição e o campo de aplicação.

Em um mundo competitivo e de busca constante por aperfeiçoamento,

melhora da produtividade, eficiência, redução de custos e aumento da qualidade,
a medição é a única forma de conhecer o real estado de um processo, afinal não
se pode melhorar o que não se pode medir.

O livro Metrologia – Fundamentos, Instrumentos e Aplicações na Indústria é
destinado não só a alunos de cursos profissionalizantes, mas também a todos os
profissionais atuantes na metrologia.

Entre os tópicos abordados estão: os conceitos básicos de metrologia, a
importância da medição, órgãos e principais publicações técnicas relacionadas,
Sistema Internacional de Unidades (SI), Sistema Imperial e Sistema Usual de
Unidades dos EUA, conversão entre unidades, técnicas e fontes de erro
na medição, os principais instrumentos de medição de leitura direta e por
comparação, como: trena, régua, paquímetro, micrômetro, relógio comparador
e apalpador, comparador de diâmetro interno, calibrador traçador de altura,
instrumentos para medição angular, padrões e calibradores, durômetros,
máquinas de medir por coordenadas, equipamentos óticos, rugosímetros e
tolerância dimensional e geométrica, entre outros.

No final de cada capítulo são apresentadas propostas de atividades sobre o
conteúdo que visam a fixação do mesmo, complementando a aprendizagem.

Peso 0.1 kg
Dimensões 210 x 148 x 2 mm
Autor

Lidio Teixeira

Sumario

Lista de Siglas e Abreviaturas
<br />1. Introdução
<br />1.1. O que é Metrologia
<br />1.2. Por que Medir?
<br />1.3. Metrologia e Controle Dimensional na Indústria
<br />1.4. Tipos e Objetivos da Metrologia
<br />1.5. Órgãos e Publicações Importantes
<br />1.5.1. Publicações
<br />1.5.2. Institutos de Normalização
<br />2. Sistemas de Medidas
<br />2.1. O que é Medir?
<br />2.2. História das Unidades de Medida
<br />2.3. Sistema Internacional de Unidades (SI)
<br />2.3.1. Unidades de Base
<br />2.3.2. Unidades Derivadas Expressas a Partir das Unidades Base
<br />2.3.3. Unidades com Nomes e Símbolos Especiais
<br />2.3.4. Múltiplos e Submúltiplos Decimais das Unidades do SI
<br />2.4. Conversão Entre Múltiplos e Submúltiplos de uma Unidade
<br />2.5. Conversão Entre Múltiplos e Submúltiplos de Unidades que
<br /> Acompanham um Expoente
<br />2.6. Unidades Fora do SI
<br />2.7. Sistema Imperial de Unidades e Sistema Usual de Unidades
<br /> dos EUA
<br />2.8. A Polegada
<br />2.8.1. Polegada Ordinária
<br />2.8.2. Polegada Fracionária
<br />2.8.3. Conversão
<br />2.8.3.1. Conversão de Polegada Fracionária em Ordinária
<br />2.8.3.2. Conversão de Polegada Ordinária em Fracionária
<br />2.8.3.3. Conversão de Milímetros em Polegada Ordinária e de Polegada Ordinária em Milímetros
<br />2.8.3.4. Conversão de Milímetros em Polegada Fracionária e de Polegada Fracionária em Milímetros
<br />3. Técnicas e Fontes de Erro na Medição
<br />3.1. Terminologia Básica
<br />3.2. Recomendações para Seleção de Instrumentos
<br />3.2.1. Campo de Tolerância
<br />3.3. Fontes de Erro de Medição
<br />3.3.1. Variação de Temperatura
<br />3.3.2. Força de Medição
<br />3.3.3. Erros de Forma da Peça
<br />3.3.4. Forma de Contato
<br />3.3.5. Erro de Paralaxe
<br />3.3.6. Estado de Conservação do Instrumento
<br />3.3.7. Habilidade do Operador
<br />3.4. Cuidados para Minimizar os Erros
<br />3.4.1. Limpeza Manutenção e Armazenagem
<br />4. Instrumentos Para Medição Direta
<br />4.1. Régua
<br />4.1.1. Nomenclatura
<br />4.1.2. Resolução/Valor de uma Divisão
<br />4.1.3. Leitura
<br />4.1.4. Recomendações e Cuidados
<br />4.1.5. Calibração e Ajuste
<br />4.1.6. Tipos
<br />4.2.1. Nomenclatura
<br />4.2.2. Leitura
<br />4.2.3. Recomendações e Cuidados
<br />4.2.4. Calibração e Ajuste
<br />4.2.5. Tipos
<br />4.3. Paquímetro
<br />4.3.1. Nomenclatura
<br />4.3.2. Resolução
<br />4.3.3. Leitura
<br />4.3.3.1. Leitura com Paquímetro com Relógio
<br />4.3.4. Recomendações e Cuidados com o Paquímetro
<br />4.3.5. Calibração e Ajuste
<br />4.3.6. Tipos de Paquímetros
<br />4.3.6.1. Paquímetro Universal
<br />4.3.6.2. Paquímetro com Ajuste Fino
<br />4.3.6.3. Paquímetro Prismático
<br />4.3.6.4. Paquímetro com Relógio
<br />4.3.6.5. Paquímetro para Serviços Pesados
<br />4.3.6.6. Paquímetro para Medição de Profundidade
<br />4.3.6.7. Paquímetros de Medição e Formas Especiais
<br />4.3.6.8. Paquímetro com Escala Dupla
<br />4.3.6.9. Paquímetros Digitais
<br />4.4. Calibrador Traçador de Alturas
<br />4.4.1. Nomenclatura
<br />4.4.2. Resolução/Valor de uma Divisão
<br />4.4.3. Leitura
<br />4.4.4. Recomendações e Cuidados com o Traçador de Altura
<br />4.4.5. Erro Máximo Admissível
<br />4.4.6. Calibração e Ajuste
<br />4.4.7. Tipos de Calibradores Traçadores de Altura
<br />4.4.7.1. Calibradores de Altura de Alta Exatidão
<br />4.5. Micrômetros
<br />4.5.1. Nomenclatura e Princípio de Funcionamento
<br />4.5.2. Resolução
<br />4.5.3. Leitura com Micrômetro
<br />4.5.3.1. Ajuste do Zero
<br />4.5.3.2. Fazendo a Medição
<br />4.5.4. Recomendações e Cuidados com o Micrômetro
<br />4.5.5. Calibração
<br />4.5.5.1. Planeza das Superfícies de Medição
<br />4.5.5.2. Paralelismo das Superfícies de Medição
<br />4.5.5.3. Erro Máximo Admissível
<br />4.5.6. Tipos
<br />4.5.6.1. Micrômetros Externos
<br />4.5.6.2. Micrômetros Internos
<br />4.5.6.3. Micrômetro de Profundidade
<br />4.5.6.4. Micrômetros Especiais
<br />4.5.6.5. Cabeçote Micrométrico
<br />5. Medição por Comparação e de Ângulos
<br />5.1. Relógio Comparador
<br />5.1.1. Nomenclatura e Princípio de Funcionamento
<br />5.1.2. Resolução e Exatidão
<br />5.1.3. Leitura
<br />5.1.4. Aplicações
<br />5.1.5. Medição por Comparação
<br />5.1.6. Acessórios
<br />5.1.7. Recomendações e Cuidados com o Relógio Comparador
<br />5.1.8. Calibração
<br />5.1.9. Tipos de Relógios Comparadores
<br />5.2. Relógio Apalpador
<br />5.2.1. Nomenclatura e Princípio de Funcionamento
<br />5.2.2. Resolução e Exatidão
<br />5.2.3. Leitura
<br />5.2.4. Medição com Relógio Apalpador
<br />5.2.4.1. Medição por Comparação
<br />5.2.4.2. Medição de Erros Geométricos
<br />5.2.5. Recomendações e Cuidados com o Relógio Apalpador
<br />5.2.6. Calibração
<br />5.2.7. Tipos
<br />5.3. Utilização do Relógio Apalpador em Conjunto com um
<br /> Traçador de Alturas
<br />5.3.1. Medições Simples com o Traçador
<br />5.3.2. Medição de Diâmetro e Coordenada Central de Furos
<br />5.3.3. Medição de Erros Geométricos
<br />5.4. Comparador de Diâmetro Interno
<br />5.4.1. Nomenclatura e Funcionamento
<br />5.4.2. Medição com o Comparador de Diâmetros Internos
<br />5.4.3. Recomendações e Cuidados
<br />5.4.4. Calibração
<br />5.4.5. Tipos
<br />5.5. Instrumentos para Medição de Ângulo
<br />5.5.1. Transferidor Simples
<br />5.5.2. Transferidor de Ângulos Universal ou Goniômetro
<br />5.5.2.1. Resolução/Valor de uma Divisão
<br />5.5.2.2. Medição com o Transferidor de Ângulos Universais
<br />5.5.3. Recomendações e Cuidados com Transferidores
<br />5.6. Outros Instrumentos
<br />6. Padrões e Calibradores
<br />6.1. Padrão de Medição
<br />6.2. Pino Padrão
<br />6.2.1. Utilização de Pino Padrão no Controle de Medidas
<br />6.2.2. Calibração e Ajuste de Zero em Instrumentos
<br />6.2.3. Medição Indireta
<br />6.2.3.1. Distância Entre Centros de Furos
<br />6.2.3.2. Medição de Profundidade de Superfícies em Ângulo
<br />6.3. Anel Padrão
<br />6.4. Bloco Padrão
<br />6.4.1. Classificação dos Blocos Padrão
<br />6.4.2. União por Mútua Adesão
<br />6.4.3. Como Formar uma Pilha de Blocos Padrão
<br />6.4.4. Aplicações
<br />6.4.5. Calibração
<br />6.4.6. Cuidados com os Blocos Padrão
<br />6.5. Desempeno
<br />7. Durômetro
<br />7.1. O que é Dureza?
<br />7.1.1. Conceitos Práticos
<br />7.2. Dureza Mohs (1812)
<br />7.3. Aplicações de Dureza
<br />7.4. Métodos de Ensaio
<br />7.5. Dureza Brinell
<br />7.5.1. Vantagens e Desvantagens
<br />7.6. Dureza Rockwell
<br />7.6.1. Tipos de Durômetros Rockwell
<br />7.7. Dureza Vickers
<br />7.8. Dureza Knoop
<br />7.9. Microdureza Vickers e Knoop
<br />7.10. Indicações de Escalas
<br />7.11. Conversão de Escalas
<br />7.12. Calibração
<br />8. Máquina de Medir por Coordenadas
<br />8.1. Princípios de Funcionamento
<br />8.1.1. Nomenclatura
<br />8.1.2. Características Mecânicas
<br />8.1.3. Sistema de Movimentação de Máquina
<br />8.1.4. Sistema de Apalpamento
<br />8.1.4.1. Cabeçote de Medição
<br />8.1.4.2. Sensor
<br />8.1.4.3. Pontas e Extensões
<br />8.1.5. Movimento Manual X CNC
<br />8.2. Aplicações
<br />8.2.1. Dimensionamento Geométrico
<br />8.2.2. Análise de Perfis
<br />8.2.3. Digitalização
<br />8.2.4. Comparação de Superfícies
<br />8.3. Tipos
<br />8.4. Exatidão
<br />9. Equipamentos Óticos
<br />9.1. Projetor de Perfil
<br />9.1.1. Características de Funcionamento
<br />9.1.2. Sistemas de Projeção
<br />9.1.2.1. Projeção Diascópica (Contorno)
<br />9.1.2.2. Projeção Episcópica (Superfície)
<br />9.1.3. Medição de Roscas
<br />9.1.4. Especificações de um Projetor
<br />9.1.4.1. Tamanho da Tela e Ampliação das Lentes
<br />9.1.4.2. Óptica
<br />9.1.4.3. Projeção Vertical ou Horizontal
<br />9.1.4.4. Mesa de Trabalho
<br />9.1.4.5. Leitura Digital Eletrônica
<br />9.1.4.6. Detecção Automática de Aresta
<br />9.1.4.7. Software de Medição
<br />9.1.4.8. Exatidão
<br />9.1.5. Tipos
<br />9.1.6. Conservação
<br />9.2. Microscópio de Medição
<br />9.2.1. Funcionamento
<br />9.2.2. Lentes
<br />9.2.3. Utilização
<br />9.2.4. Características Técnicas
<br />9.2.4.1. Ampliação Total
<br />9.2.4.2. Distância Focal e Distância de Trabalho (WD)
<br />9.2.4.3. Profundidade de Foco
<br />9.2.5. Tipos
<br />9.3. Máquina de Medir por Processamento de Imagem
<br />9.4. Escolha de Equipamentos para Medição Ótica
<br />9.5. Calibração de Equipamentos Óticos
<br />10. Rugosímetro
<br />10.1. Rugosidade
<br />10.2. Influência da Rugosidade
<br />10.3. Configuração do Rugosímetro para Medição
<br />10.3.1. Perfil
<br />10.3.2. Cutoff ou Comprimento de Amostragem
<br />10.3.3. Comprimento para Avaliação
<br />10.3.4. Parâmetros de Rugosidade
<br />10.4. Normas e Simbologia
<br />10.5. Equipamentos
<br />10.5.1. Rugosímetros Portáteis
<br />10.5.2. Rugosímetros de Bancada
<br />11. Tolerância Dimensional e Geométrica
<br />11.1. Tolerância Dimensional
<br />11.1.1. Exemplo de Indicação de Tolerância
<br />11.1.2. Indicações de Tolerância
<br />11.1.3. Tolerância de Ajuste
<br />11.1.4. Tolerância ISO (ABNT NBR 6158)
<br />11.1.4.1. Campo de Tolerância
<br />11.1.4.2. Qualidade de Trabalho
<br />11.1.4.3. Grupos de Dimensões
<br />11.1.4.4. Ajustes
<br />11.2. Tolerância Geométrica de Forma e Posição
<br />11.2.1. Cota Básica
<br />11.2.2. Interpretação da Tolerância
<br />Referências
<br />Glossário
<br />

Demonstracao

2017-01-19_02-07-47-MetrologiaPremium.pgnas.swf

Exercicios

2017-01-19_02-07-29-Respostadosexercicios.zip

Paginas

320

ISBN

978-85-371-0475-0