Menu

NR 35 – Segurança no Trabalho em Altura – Procedimentos e Práticas

R$51,50

As normas regulamentadoras (NRs) são leis relacionadas à segurança e à saúde ocupacional de diversas categorias profissionais. Elas são elaboradas pelo Ministério do Trabalho, e tem …

256 páginasAutor(es): Ricardo Marinho / Wanderley BegnonISBN: 978-85-371-0457-6
Sumário

Sumário

1. Introdução
1.1. Riscos do Trabalho em Altura
1.2. Segurança no Trabalho em Altura
2. Noções Básicas de Segurança do Trabalho
2.1. O que é Segurança do Trabalho
2.2. Legislação que Define a Segurança do Trabalho
2.3. Acidentes do Trabalho
2.3.1. Ocorrências de Acidentes de Trabalho
2.3.2. Consequências dos Acidentes de Trabalho
2.3.3. Consequências dos Acidentes para o Trabalhador
2.3.3.1. Traumas Psicológicos
2.3.3.2. Consequências dos Acidentes para o Empregador
2.3.4. Causas dos Acidentes de Trabalho
2.3.4.1. Ato Inseguro
2.3.4.2. Condição Insegura
2.3.5. Tipos de Acidentes de Trabalho
2.3.6. Doenças Profissionais
2.4. Noções de Risco do Trabalho
2.4.1. Diferença Entre Risco e Perigo
2.4.2. Agentes Ambientais de Risco
2.4.2.1 Agentes Físicos
2.4.2.2. Agentes Químicos
2.4.2.3. Agentes Biológicos
2.4.2.4. Agentes Ergonômicos
2.4.3. Avaliação de Risco
2.4.3.1. Importância da Avaliação de Risco
2.4.3.2. Problemas e Soluções
2.4.3.3. Processo de Avaliação de Risco
2.4.3.4. Quando Utilizar os Procedimentos de Risco?
2.4.4. Análise de Riscos
2.4.5. Análise Preliminar de Risco – APR
2.4.6. Mapa de Riscos
2.4.6.1. Elaboração de um Mapa de Riscos
2.4.6.2. Etapas da Elaboração
2.4.7. Riscos nos Trabalhos em Altura
2.4.7.1. Riscos Adicionais
2.5. Lesão
2.6. Programas e Sistemas de Prevenção
2.6.1. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA
2.6.2. Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho - SIPAT
2.6.3. PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
2.6.4. PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
2.6.4.1. Exame Pré-Admissional
2.6.4.2. Exame Admissional
2.6.4.3. Exame Periódico
2.6.4.4. Exame de Retorno ao Trabalho
2.6.4.5. Exame de Mudança de Função
2.6.5. Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do
Trabalho - SESMT
2.7. Fatores Psicossociais
2.7.1. Riscos Psicossociais nos Trabalhos em Altura
2.7.1.1. Estresse
2.7.1.2. Violência
2.7.1.3. Bullying
2.7.2. A Falta de Capacitação para o Trabalho
2.7.3. Sobrecarga de Trabalho
2.7.4. A Falta de Recursos
2.7.5. Segurança
2.7.6. Ansiedade Social
2.7.7. O Papel das Empresas
3. Fatores e Mecanismos da Queda
3.1. Dinâmica da Queda
3.1.1. Força de Frenagem
3.1.2. Absorção de Choque
3.1.3. Fatores Influentes
3.1.3.1. Tipo de Material Usado na Absorção da Queda
3.1.3.2. O Peso do Trabalhador
3.1.3.3. Fator de Queda
3.1.3.4. Entendendo o Fator de Queda
3.1.4. Zona Livre de Queda (ZLQ)
3.2. Síndrome de Suspensão Inerte
3.2.1. Causas e Consequências
3.2.2. Progressão do Trauma
3.2.3. Prevenção e Resgate
3.3. Forças Envolvidas
3.3.1. Tipos de Forças
3.3.2. Unidade de Força
3.4. Princípio da Vantagem Mecânica da Polia
3.4.1. Vantagem Mecânica
3.4.2. Polia
3.4.2.1. Polia Fixa
3.4.2.2. Polia Móvel
3.4.2.3. Associação de Polias
4. Normas e Leis Aplicadas na Segurança em Altura
4.1. Normas Regulamentadoras
4.1.1. NR 1 – Disposições Gerais
4.1.2. NR 6 – Equipamento de Proteção Individual
4.1.2.1. Certificados de Aprovação
4.1.2.2. Equipamento de Segurança Individual - EPI
4.1.3. NR 7 – PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde
Ocupacional
4.1.3.1. Exames Complementares para Trabalho em Altura
4.1.4. NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
4.1.5. NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria
da Construção
4.1.6. NR 35 – Trabalho em Altura
4.2. Normas Técnicas
5. Análise e Aplicações da Norma Regulamentadora 35
5.1. Objetivos e Campo de Aplicação
5.2. Responsabilidades
5.2.1. Responsabilidades do Empregador
5.2.2. Responsabilidades do Trabalhador
5.3. Capacitação e Treinamento
5.3.1. A Importância do Treinamento
5.3.2. O que é Treinamento
5.3.3. Etapas do Processo de Treinamento
5.3.4. Fatores Determinantes no Processo de Treinamento
5.3.5. Orientações aos Instrutores
5.3.6. Capacitação e Treinamento – NR 35
5.4. Planejamento, Organização e Execução
5.4.1. Análise de Risco nos Trabalhos em Altura
5.4.2. Procedimentos Operacionais
5.4.3. PT - Permissão de Trabalho
5.5. Emergência e Salvamento
6. Equipamentos e Dispositivos de Segurança
6.1. Sistemas de Proteção no Acesso por Corda
6.2. Obrigatoriedade do Uso dos Equipamentos
6.3. Uso Devido dos Equipamentos
6.4. Equipamentos de Proteção Individual
6.4.1. Calçados de Segurança
6.4.2. Óculos de Segurança
6.4.3. Capacete
6.4.4. Luvas de Vaqueta
6.4.5. Cinturão de Segurança Tipo Paraquedista
6.4.6. Corda e Cabos de Segurança
6.4.7. Fitas
6.4.8. Cadeirinhas
6.4.9. Talabarte de Segurança
6.4.10. Cabo de Aço
6.4.11. Dispositivos Descensores
6.4.11.1. Freio Oito
6.4.11.2. ATC
6.4.11.3. Rack
6.4.11.4. Dispositivos Autoblocantes
6.4.12. Dispositivos Bloqueadores
6.4.12.1. Blocantes
6.4.12.2. Trava Quedas
6.4.13. Dispositivos Conectores
6.4.13.1. Mosquetões
6.4.14. Malhas Rápidas/Maillons
7. Segurança em Telhados e Andaimes
7.1. Trabalho em Telhado e Coberturas
7.1.1. Critérios de Segurança em Telhados e Coberturas Conforme
a NR 18
7.1.1.1. Sistema Móvel de Trabalho
7.1.1.2. Procedimentos de Segurança no Trabalho em Telhado
7.2. Segurança nos Trabalhos em Andaimes
7.2.1. O que são Andaimes
7.2.2. Normas Aplicadas
7.2.3. Classificação e Tipos de Andaimes
7.2.3.1. Andaime Simplesmente Apoiado
7.2.3.2. Andaimes Fachadeiros
7.2.3.3. Andaime Móvel
7.2.3.4. Andaimes em Balanço
7.2.3.5. Andaime Suspenso Mecânico ou Motorizado
7.2.3.6. Balancim Individual
7.2.4. Componentes, Peças e Acessórios de um Andaime
7.2.4.1. Tubo
7.2.4.2. Braçadeira
7.2.4.3. Prancha ou Pranchão
7.2.4.4. Longarina
7.2.4.5. Placa de Base
7.2.4.6. Luva de Emenda
7.2.4.7. Rodízios
7.2.4.8. Forcado
7.2.4.9. Chave de Andaime
7.2.4.10. Quadro de Andaime
7.2.4.11. Poste
7.2.4.12. Travessa
7.2.4.13. Diagonal
7.2.4.14. Plataforma
7.2.4.15. Guarda Corpo
7.2.4.16. Rodapé
7.2.4.17. Escada
7.2.5. Riscos do Trabalho em Andaimes
7.2.5.1. Principais Causas de Acidentes em Andaimes
7.2.6. Aspectos Gerais de Segurança nos Trabalhos em Andaime
7.2.6.1. Profissional Legalmente Habilitado
7.2.6.2. Projeto Adequado de Fabricação
7.2.6.3. Planejamento do Trabalho
7.2.6.4. Materiais dos Componentes
7.2.6.5. Utilização de Pranchas
7.2.6.6. Acesso ao Nível de Trabalho
7.2.6.7. Proteção Lateral
7.2.6.8. Estaiamento dos Andaimes
7.2.6.9. Apoio no Solo
7.2.6.10. Recomendações Gerais de Segurança nos Trabalhos em
Andaimes
7.2.6.11. Determinações da NR 18 na Montagem e Desmontagem
de Andaimes
7.2.6.12. Recomendações Gerais de Segurança na Montagem e
Desmontagem de Andaimes
7.2.6.13. Inspeções de Andaimes
8. Técnicas Aplicadas nas Atividades Verticais
8.1. Um Pouco de História
8.1.1. Resumo Histórico no Brasil
8.2. O que é Acesso por Cordas?
8.2.1. Normas Aplicadas ao Acesso por Cordas
8.2.2. Qualificação Profissional de Acesso por Cordas
8.2.3. Treinamento de Acesso por Cordas
8.2.3.1. Nível 1 – N1 – Qualificação Básica
8.2.3.2. Nível 2 – N2 – Qualificação Intermediária
8.2.3.3. Nível 3 – N3 – Qualificação Avançada
8.2.4. Práticas de Segurança no Acesso Vertical
8.2.5. EPIs e Acessórios Auxiliares
8.2.6. Anexo 1 da NR 35 - Acesso por Cordas
8.3. Cordas, Nós e Amarras
8.3.1. Nomenclaturas
8.3.2. Resistências dos Nós
8.3.3. Tipos de Nós
8.3.3.1. Nó Simples
8.3.3.2. Nó de Oito ou Trempe
8.3.3.3. Nó de Azelha
8.3.3.4. Nó de Pescador Duplo
8.3.3.5. Nó Volta do Fiel
8.3.3.6. Nó de Prusik
8.3.3.7. Nó de Fita ou Nó Duplo
8.3.3.8. Nó Laís de Guia
9. Noções Básicas de Técnicas de Resgate
9.1. Queda em Altura
9.2. Suspensão Inerte
9.3. Plano de Resgate
9.4. Equipe de Resgate
9.5. Equipamentos de Resgate
9.5.1. Macas
9.5.2. Triângulo de Evacuação
9.6. Procedimentos Seguros no Resgate
9.7. Fatores de Decisão da Escolha das Técnicas de Resgate
9.8. Categoria do Resgate
9.9. Etapas de Salvamento e Resgate
9.9.1. Planejamento Preliminar
9.9.2. Procedimentos Operacionais
9.9.2.1. Reconhecimento e Abordagem
9.9.2.2. Exploração do Local
9.9.2.3. Execução das Técnicas
9.9.3. Reavaliação
9.10. As Técnicas de Resgate
9.10.1. Resgate com Cordas
9.10.2. Técnica de Ascensão
9.10.3. Técnicas de Descensão – Rapel
9.10.4. Técnicas de Autorresgate
9.11. Técnicas de Amarrações de Macas
9.11.1. Técnica de Amarração Padrão no Plano Horizontal
9.11.2. Técnica de Amarração Padrão no Plano Inclinado
9.11.3. Técnica de Amarração Padrão no Plano Vertical
9.11.4. Técnica STEF - Sistema Técnico de Equilíbrio Fácil
10. Noções Básicas de Primeiros Socorros
10.1. Primeiros Socorros
10.2. Avaliação das Condições Gerais da Vítima
10.3. Posição Lateral de Segurança (PLS)
10.4. Respiração
10.4.1. Abertura das Vias Respiratórias
10.5. Respiração Artificial
10.6. Asfixia/Sufocação
10.6.1. Manobra de Heimlich
10.7. Crises Asmáticas
10.8. Convulsão
10.9. Circulação
10.10. Massagem Cardíaca
10.11. Hemorragias
10.11.1. Hemorragia Nasal
10.11.2. Hemorragia na Palma da Mão
10.12. Ataque Cardíaco
10.12.1. Principais Sintomas de Ataque Cardíaco
10.12.1.1.Diagnóstico
10.12.1.2.Tratamento
10.12.2. Todo esse Tratamento Fica a Critério Médico
10.13. Desmaios
10.14. Estados de Choque
10.15. Queimaduras
10.15.1. Classificação das Queimaduras
10.15.1.1.Queimaduras de 1° Grau
10.15.1.2.Queimadura de 2° Grau
10.15.1.3.Queimaduras de 3° Grau
10.15.1.4.Queimaduras de 4° Grau
10.15.1.5.Queimaduras de 5° Grau
10.15.1.6.Queimaduras Causadas por Substâncias Químicas, Ácidos e
Bases
10.15.1.7.Queimaduras Causadas por Corrente Elétrica
10.15.1.8.Queimaduras Causadas por Explosivos
10.16. Entorses
10.16.1. Lesão Muscular
10.16.2. A Imobilização
10.17. Fraturas
10.17.1. Consequências e Prejuízos
10.17.2. Incapacidade Considerada Permanente
10.17.3. Incapacidade Total e Permanente
10.17.4. Situações de Risco de Fraturas
10.18. Imobilização
10.18.1. Fraturas Expostas
10.19. Choques Elétricos
10.19.1. Sintomas dos Choques Elétricos
10.19.2. Eletrocussão
10.20. Envenenamento e Intoxicação
10.20.1. Envenenamento por Via Digestiva
10.20.2. Envenenamento Por Medicamentos
10.20.3. Envenenamento por Produtos Tóxicos
10.20.3.1.Monóxido de Carbono
10.20.4. Intoxicação Aguda
10.20.5. Dissolventes Orgânicos
10.20.6. Intoxicação por Substâncias e/ou Venenos Inalados
10.21. Insolação/Golpe de Calor
10.22. Transporte de Vítimas
Amostra REF: 978-85-371-0457-6 Categoria

As normas regulamentadoras (NRs) são leis relacionadas à segurança e à saúde ocupacional de diversas categorias profissionais. Elas são elaboradas pelo Ministério do Trabalho, e tem como objetivo ser uma referência para o desenvolvimento das ações e obrigações das empresas privadas e públicas, que possuem empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A NR 35 é uma norma regulamentadora que dispõe sobre a segurança e a saúde no trabalho em altura, estabelecendo requisitos para a proteção dos trabalhadores em relação aos riscos em trabalhos com diferenças de níveis, e aos aspectos da prevenção dos riscos de queda. Conforme a complexidade e riscos dessas tarefas, o empregador deverá adotar medidas complementares inerentes a essas atividades.

O livro NR 35 Segurança no Trabalho em Altura: Procedimentos e Práticas apresenta conteúdo dinâmico com itens importantes e que devem ser conhecidos por profissionais da área. A obra está dividida em capítulos complementares que permitem não apenas o conhecimento gradativo dos conceitos, mas também a aplicação de vários itens abordados na norma NR 35. Entre os tópicos abordados estão: introdução aos riscos do trabalho em altura e a importância da segurança nesse tipo de atividade, noções básicas de segurança do trabalho, a legislação que define a segurança do trabalho, os fatores e os mecanismos da queda, a síndrome de suspensão inerte, as normas e leis aplicadas na segurança em altura, análise e aplicações da NR 35, os equipamentos e os dispositivos de segurança, a obrigatoriedade da utilização dos equipamentos e o uso devido dos equipamentos, orientações para trabalho em telhados e coberturas e as normas para segurança nos trabalhos em andaimes, as técnicas de acesso por corda, noções básicas de técnicas de resgate, noções básicas de primeiros socorros.

No final de cada capítulo, são apresentadas propostas de atividades que visam à fixação do conteúdo, e também completam a aprendizagem.

Peso 0.32 kg
Dimensões 210 x 148 x 2 mm
Autor

Ricardo Marinho / Wanderley Begnon

Sumario

1. Introdução
<br />1.1. Riscos do Trabalho em Altura
<br />1.2. Segurança no Trabalho em Altura
<br />2. Noções Básicas de Segurança do Trabalho
<br />2.1. O que é Segurança do Trabalho
<br />2.2. Legislação que Define a Segurança do Trabalho
<br />2.3. Acidentes do Trabalho
<br />2.3.1. Ocorrências de Acidentes de Trabalho
<br />2.3.2. Consequências dos Acidentes de Trabalho
<br />2.3.3. Consequências dos Acidentes para o Trabalhador
<br />2.3.3.1. Traumas Psicológicos
<br />2.3.3.2. Consequências dos Acidentes para o Empregador
<br />2.3.4. Causas dos Acidentes de Trabalho
<br />2.3.4.1. Ato Inseguro
<br />2.3.4.2. Condição Insegura
<br />2.3.5. Tipos de Acidentes de Trabalho
<br />2.3.6. Doenças Profissionais
<br />2.4. Noções de Risco do Trabalho
<br />2.4.1. Diferença Entre Risco e Perigo
<br />2.4.2. Agentes Ambientais de Risco
<br />2.4.2.1 Agentes Físicos
<br />2.4.2.2. Agentes Químicos
<br />2.4.2.3. Agentes Biológicos
<br />2.4.2.4. Agentes Ergonômicos
<br />2.4.3. Avaliação de Risco
<br />2.4.3.1. Importância da Avaliação de Risco
<br />2.4.3.2. Problemas e Soluções
<br />2.4.3.3. Processo de Avaliação de Risco
<br />2.4.3.4. Quando Utilizar os Procedimentos de Risco?
<br />2.4.4. Análise de Riscos
<br />2.4.5. Análise Preliminar de Risco – APR
<br />2.4.6. Mapa de Riscos
<br />2.4.6.1. Elaboração de um Mapa de Riscos
<br />2.4.6.2. Etapas da Elaboração
<br />2.4.7. Riscos nos Trabalhos em Altura
<br />2.4.7.1. Riscos Adicionais
<br />2.5. Lesão
<br />2.6. Programas e Sistemas de Prevenção
<br />2.6.1. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA
<br />2.6.2. Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho – SIPAT
<br />2.6.3. PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
<br />2.6.4. PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
<br />2.6.4.1. Exame Pré-Admissional
<br />2.6.4.2. Exame Admissional
<br />2.6.4.3. Exame Periódico
<br />2.6.4.4. Exame de Retorno ao Trabalho
<br />2.6.4.5. Exame de Mudança de Função
<br />2.6.5. Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do
<br /> Trabalho – SESMT
<br />2.7. Fatores Psicossociais
<br />2.7.1. Riscos Psicossociais nos Trabalhos em Altura
<br />2.7.1.1. Estresse
<br />2.7.1.2. Violência
<br />2.7.1.3. Bullying
<br />2.7.2. A Falta de Capacitação para o Trabalho
<br />2.7.3. Sobrecarga de Trabalho
<br />2.7.4. A Falta de Recursos
<br />2.7.5. Segurança
<br />2.7.6. Ansiedade Social
<br />2.7.7. O Papel das Empresas
<br />3. Fatores e Mecanismos da Queda
<br />3.1. Dinâmica da Queda
<br />3.1.1. Força de Frenagem
<br />3.1.2. Absorção de Choque
<br />3.1.3. Fatores Influentes
<br />3.1.3.1. Tipo de Material Usado na Absorção da Queda
<br />3.1.3.2. O Peso do Trabalhador
<br />3.1.3.3. Fator de Queda
<br />3.1.3.4. Entendendo o Fator de Queda
<br />3.1.4. Zona Livre de Queda (ZLQ)
<br />3.2. Síndrome de Suspensão Inerte
<br />3.2.1. Causas e Consequências
<br />3.2.2. Progressão do Trauma
<br />3.2.3. Prevenção e Resgate
<br />3.3. Forças Envolvidas
<br />3.3.1. Tipos de Forças
<br />3.3.2. Unidade de Força
<br />3.4. Princípio da Vantagem Mecânica da Polia
<br />3.4.1. Vantagem Mecânica
<br />3.4.2. Polia
<br />3.4.2.1. Polia Fixa
<br />3.4.2.2. Polia Móvel
<br />3.4.2.3. Associação de Polias
<br />4. Normas e Leis Aplicadas na Segurança em Altura
<br />4.1. Normas Regulamentadoras
<br />4.1.1. NR 1 – Disposições Gerais
<br />4.1.2. NR 6 – Equipamento de Proteção Individual
<br />4.1.2.1. Certificados de Aprovação
<br />4.1.2.2. Equipamento de Segurança Individual – EPI
<br />4.1.3. NR 7 – PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde
<br /> Ocupacional
<br />4.1.3.1. Exames Complementares para Trabalho em Altura
<br />4.1.4. NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
<br />4.1.5. NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria
<br /> da Construção
<br />4.1.6. NR 35 – Trabalho em Altura
<br />4.2. Normas Técnicas
<br />5. Análise e Aplicações da Norma Regulamentadora 35
<br />5.1. Objetivos e Campo de Aplicação
<br />5.2. Responsabilidades
<br />5.2.1. Responsabilidades do Empregador
<br />5.2.2. Responsabilidades do Trabalhador
<br />5.3. Capacitação e Treinamento
<br />5.3.1. A Importância do Treinamento
<br />5.3.2. O que é Treinamento
<br />5.3.3. Etapas do Processo de Treinamento
<br />5.3.4. Fatores Determinantes no Processo de Treinamento
<br />5.3.5. Orientações aos Instrutores
<br />5.3.6. Capacitação e Treinamento – NR 35
<br />5.4. Planejamento, Organização e Execução
<br />5.4.1. Análise de Risco nos Trabalhos em Altura
<br />5.4.2. Procedimentos Operacionais
<br />5.4.3. PT – Permissão de Trabalho
<br />5.5. Emergência e Salvamento
<br />6. Equipamentos e Dispositivos de Segurança
<br />6.1. Sistemas de Proteção no Acesso por Corda
<br />6.2. Obrigatoriedade do Uso dos Equipamentos
<br />6.3. Uso Devido dos Equipamentos
<br />6.4. Equipamentos de Proteção Individual
<br />6.4.1. Calçados de Segurança
<br />6.4.2. Óculos de Segurança
<br />6.4.3. Capacete
<br />6.4.4. Luvas de Vaqueta
<br />6.4.5. Cinturão de Segurança Tipo Paraquedista
<br />6.4.6. Corda e Cabos de Segurança
<br />6.4.7. Fitas
<br />6.4.8. Cadeirinhas
<br />6.4.9. Talabarte de Segurança
<br />6.4.10. Cabo de Aço
<br />6.4.11. Dispositivos Descensores
<br />6.4.11.1. Freio Oito
<br />6.4.11.2. ATC
<br />6.4.11.3. Rack
<br />6.4.11.4. Dispositivos Autoblocantes
<br />6.4.12. Dispositivos Bloqueadores
<br />6.4.12.1. Blocantes
<br />6.4.12.2. Trava Quedas
<br />6.4.13. Dispositivos Conectores
<br />6.4.13.1. Mosquetões
<br />6.4.14. Malhas Rápidas/Maillons
<br />7. Segurança em Telhados e Andaimes
<br />7.1. Trabalho em Telhado e Coberturas
<br />7.1.1. Critérios de Segurança em Telhados e Coberturas Conforme
<br /> a NR 18
<br />7.1.1.1. Sistema Móvel de Trabalho
<br />7.1.1.2. Procedimentos de Segurança no Trabalho em Telhado
<br />7.2. Segurança nos Trabalhos em Andaimes
<br />7.2.1. O que são Andaimes
<br />7.2.2. Normas Aplicadas
<br />7.2.3. Classificação e Tipos de Andaimes
<br />7.2.3.1. Andaime Simplesmente Apoiado
<br />7.2.3.2. Andaimes Fachadeiros
<br />7.2.3.3. Andaime Móvel
<br />7.2.3.4. Andaimes em Balanço
<br />7.2.3.5. Andaime Suspenso Mecânico ou Motorizado
<br />7.2.3.6. Balancim Individual
<br />7.2.4. Componentes, Peças e Acessórios de um Andaime
<br />7.2.4.1. Tubo
<br />7.2.4.2. Braçadeira
<br />7.2.4.3. Prancha ou Pranchão
<br />7.2.4.4. Longarina
<br />7.2.4.5. Placa de Base
<br />7.2.4.6. Luva de Emenda
<br />7.2.4.7. Rodízios
<br />7.2.4.8. Forcado
<br />7.2.4.9. Chave de Andaime
<br />7.2.4.10. Quadro de Andaime
<br />7.2.4.11. Poste
<br />7.2.4.12. Travessa
<br />7.2.4.13. Diagonal
<br />7.2.4.14. Plataforma
<br />7.2.4.15. Guarda Corpo
<br />7.2.4.16. Rodapé
<br />7.2.4.17. Escada
<br />7.2.5. Riscos do Trabalho em Andaimes
<br />7.2.5.1. Principais Causas de Acidentes em Andaimes
<br />7.2.6. Aspectos Gerais de Segurança nos Trabalhos em Andaime
<br />7.2.6.1. Profissional Legalmente Habilitado
<br />7.2.6.2. Projeto Adequado de Fabricação
<br />7.2.6.3. Planejamento do Trabalho
<br />7.2.6.4. Materiais dos Componentes
<br />7.2.6.5. Utilização de Pranchas
<br />7.2.6.6. Acesso ao Nível de Trabalho
<br />7.2.6.7. Proteção Lateral
<br />7.2.6.8. Estaiamento dos Andaimes
<br />7.2.6.9. Apoio no Solo
<br />7.2.6.10. Recomendações Gerais de Segurança nos Trabalhos em
<br /> Andaimes
<br />7.2.6.11. Determinações da NR 18 na Montagem e Desmontagem
<br /> de Andaimes
<br />7.2.6.12. Recomendações Gerais de Segurança na Montagem e
<br /> Desmontagem de Andaimes
<br />7.2.6.13. Inspeções de Andaimes
<br />8. Técnicas Aplicadas nas Atividades Verticais
<br />8.1. Um Pouco de História
<br />8.1.1. Resumo Histórico no Brasil
<br />8.2. O que é Acesso por Cordas?
<br />8.2.1. Normas Aplicadas ao Acesso por Cordas
<br />8.2.2. Qualificação Profissional de Acesso por Cordas
<br />8.2.3. Treinamento de Acesso por Cordas
<br />8.2.3.1. Nível 1 – N1 – Qualificação Básica
<br />8.2.3.2. Nível 2 – N2 – Qualificação Intermediária
<br />8.2.3.3. Nível 3 – N3 – Qualificação Avançada
<br />8.2.4. Práticas de Segurança no Acesso Vertical
<br />8.2.5. EPIs e Acessórios Auxiliares
<br />8.2.6. Anexo 1 da NR 35 – Acesso por Cordas
<br />8.3. Cordas, Nós e Amarras
<br />8.3.1. Nomenclaturas
<br />8.3.2. Resistências dos Nós
<br />8.3.3. Tipos de Nós
<br />8.3.3.1. Nó Simples
<br />8.3.3.2. Nó de Oito ou Trempe
<br />8.3.3.3. Nó de Azelha
<br />8.3.3.4. Nó de Pescador Duplo
<br />8.3.3.5. Nó Volta do Fiel
<br />8.3.3.6. Nó de Prusik
<br />8.3.3.7. Nó de Fita ou Nó Duplo
<br />8.3.3.8. Nó Laís de Guia
<br />9. Noções Básicas de Técnicas de Resgate
<br />9.1. Queda em Altura
<br />9.2. Suspensão Inerte
<br />9.3. Plano de Resgate
<br />9.4. Equipe de Resgate
<br />9.5. Equipamentos de Resgate
<br />9.5.1. Macas
<br />9.5.2. Triângulo de Evacuação
<br />9.6. Procedimentos Seguros no Resgate
<br />9.7. Fatores de Decisão da Escolha das Técnicas de Resgate
<br />9.8. Categoria do Resgate
<br />9.9. Etapas de Salvamento e Resgate
<br />9.9.1. Planejamento Preliminar
<br />9.9.2. Procedimentos Operacionais
<br />9.9.2.1. Reconhecimento e Abordagem
<br />9.9.2.2. Exploração do Local
<br />9.9.2.3. Execução das Técnicas
<br />9.9.3. Reavaliação
<br />9.10. As Técnicas de Resgate
<br />9.10.1. Resgate com Cordas
<br />9.10.2. Técnica de Ascensão
<br />9.10.3. Técnicas de Descensão – Rapel
<br />9.10.4. Técnicas de Autorresgate
<br />9.11. Técnicas de Amarrações de Macas
<br />9.11.1. Técnica de Amarração Padrão no Plano Horizontal
<br />9.11.2. Técnica de Amarração Padrão no Plano Inclinado
<br />9.11.3. Técnica de Amarração Padrão no Plano Vertical
<br />9.11.4. Técnica STEF – Sistema Técnico de Equilíbrio Fácil
<br />10. Noções Básicas de Primeiros Socorros
<br />10.1. Primeiros Socorros
<br />10.2. Avaliação das Condições Gerais da Vítima
<br />10.3. Posição Lateral de Segurança (PLS)
<br />10.4. Respiração
<br />10.4.1. Abertura das Vias Respiratórias
<br />10.5. Respiração Artificial
<br />10.6. Asfixia/Sufocação
<br />10.6.1. Manobra de Heimlich
<br />10.7. Crises Asmáticas
<br />10.8. Convulsão
<br />10.9. Circulação
<br />10.10. Massagem Cardíaca
<br />10.11. Hemorragias
<br />10.11.1. Hemorragia Nasal
<br />10.11.2. Hemorragia na Palma da Mão
<br />10.12. Ataque Cardíaco
<br />10.12.1. Principais Sintomas de Ataque Cardíaco
<br />10.12.1.1.Diagnóstico
<br />10.12.1.2.Tratamento
<br />10.12.2. Todo esse Tratamento Fica a Critério Médico
<br />10.13. Desmaios
<br />10.14. Estados de Choque
<br />10.15. Queimaduras
<br />10.15.1. Classificação das Queimaduras
<br />10.15.1.1.Queimaduras de 1° Grau
<br />10.15.1.2.Queimadura de 2° Grau
<br />10.15.1.3.Queimaduras de 3° Grau
<br />10.15.1.4.Queimaduras de 4° Grau
<br />10.15.1.5.Queimaduras de 5° Grau
<br />10.15.1.6.Queimaduras Causadas por Substâncias Químicas, Ácidos e
<br /> Bases
<br />10.15.1.7.Queimaduras Causadas por Corrente Elétrica
<br />10.15.1.8.Queimaduras Causadas por Explosivos
<br />10.16. Entorses
<br />10.16.1. Lesão Muscular
<br />10.16.2. A Imobilização
<br />10.17. Fraturas
<br />10.17.1. Consequências e Prejuízos
<br />10.17.2. Incapacidade Considerada Permanente
<br />10.17.3. Incapacidade Total e Permanente
<br />10.17.4. Situações de Risco de Fraturas
<br />10.18. Imobilização
<br />10.18.1. Fraturas Expostas
<br />10.19. Choques Elétricos
<br />10.19.1. Sintomas dos Choques Elétricos
<br />10.19.2. Eletrocussão
<br />10.20. Envenenamento e Intoxicação
<br />10.20.1. Envenenamento por Via Digestiva
<br />10.20.2. Envenenamento Por Medicamentos
<br />10.20.3. Envenenamento por Produtos Tóxicos
<br />10.20.3.1.Monóxido de Carbono
<br />10.20.4. Intoxicação Aguda
<br />10.20.5. Dissolventes Orgânicos
<br />10.20.6. Intoxicação por Substâncias e/ou Venenos Inalados
<br />10.21. Insolação/Golpe de Calor
<br />10.22. Transporte de Vítimas
<br />

Demonstracao

2016-07-27_08-50-33-NR35Premium.swf

Exercicios
Paginas

256

ISBN

978-85-371-0457-6